PEC 55 – Limitação de Investimentos Públicos. Quem sai ganhando com isso?

Você acha que a aposentadoria é o único problema que nós, trabalhadores e brasileiros honestos estamos enfrentando? Trabalhar até mais dos 70 anos não será suficiente para confortar o governo. Eles querem mais…

Com um discurso que agrada uma pequena parcela da população, aquela que é provida de recursos e que ganha com o suor do trabalhador brasileiro, o governo de Michel Temer está a um passo de CONGELAR gastos com fatores essenciais para o desenvolvimento do país e cuidado com a população.

E entre tantos limites, dois chamam a atenção de uma forma mais especial: congelamento de investimentos com Educação e Saúde. Isso mesmo… O que já estava ruim, tem tudo para piorar ainda mais.

E você, está preparado para isso? Conheça abaixo todas as consequências dos congelamentos dos gastos públicos.

Confira como ficará a Saúde e Educação no Brasil nos próximos 20 anos…

A PEC (uma alteração da Constituição – nossa Lei Maior) apresentada pelo governo e aprovada na Câmara e no Senado define que os investimentos terão um teto máximo e não cresceram mais conforme a arrecadação do ano anterior. Entre tantas coisas, duas questões levantam mais indignação: saúde e educação.

fila SUSE qual será o limite imposto para os investimentos a partir de agora? Segundo a PEC 55 o limite terá como base o total de despesas do ano anterior acrescido de 7,2%. Porém, a partir de 2018 esse limite terá como base, não mais os 7,2%, mas sim, a inflação do ano anterior (além do total gasto no ano anterior).

Com esse limitador, há chances REAIS de termos educação e saúde defasadas, ou seja, com um valor menor de investimento, as precariedades que já são apresentadas hoje, serão ainda mais evidentes.

Como isso pode me prejudicar? Vamos para um exemplo prático…

Você possui seus filhos na escola pública e não paga plano de saúde, usufrui do SUS. Sabe que não são as melhores opções, porém, o orçamento ficaria muito apertado se tivesse esses dois custos adicionais.

Ao limitar os investimentos, os resultados desses dois serviços começam a ficar ainda mais aquém do que poderiam ser. Você verá seus filhos com atrasos na educação (se comparado com outras crianças do sistema privado) e enfrentaria ainda mais filas e esperas para ser atendido pelo SUS.

casal preocupado contas da casa

Você não acha justo fazer isso com sua família. Logo, terá que apertar o orçamento (e, muitas vezes, ficar no vermelho) para dar um mínimo de condições para que seus filhos tenham educação de qualidade e acesso à saúde.

E a pergunta que não quer calar: Quem ganha com tudo isso?

É claro que são as entidades privadas que poderão aumentar suas demandas e faturar ainda mais. E, indiretamente, o governo, que poderá arrecadar mais impostos e utilizar esse dinheiro da forma que bem entender.

E quem perde com isso? Você, meu amigo que tem o orçamento apertado e terá que fazer milagres para ter o mínimo para sua família.

escola pública precáriaMas se eu não tenho como apertar as contas e não posso pagar nem pela escola mais barata e nem pelo plano de saúde mais enxuto? Então, lamento informar, mas você terá que torcer para a arrecadação do governo aumentar para que o ano seguinte possa haver mais investimentos em educação e saúde, pois, caso o contrário, você terá uma educação ainda mais falha e uma saúde pública cada vez mais precária.

E você, o que acha de tudo isso? Deixe seu comentário e compartilhe este conteúdo nas redes sociais!