Administrador: qual a formação, o salário e o mercado de trabalho?

O administrador gerencia recursos financeiros, materiais ou humanos de uma empresa. Ele tem lugar em praticamente todos os departamentos de uma organização pública, privada ou sem fins lucrativos. É sua função definir estratégias e gerenciar o dia a dia da organização, traçando metas, criando políticas internas, realizando auditorias e analisando resultados.

Em recursos humanos, responde pelo relacionamento da empresa com funcionários e sindicatos, gerencia admissões e demissões, planos de carreira e benefícios. Na área de compras, faz cotação de preços, providencia a aquisição de matérias-primas e insumos, negocia com fornecedores e controla os estoques.

Em vendas, encarrega-se da negociação de preços, condições de pagamento e prazos de entrega com clientes e das atividades de publicidade e marketing. No departamento financeiro, lida com pagamentos e recebimentos, agenda de impostos ou cobrança de clientes. Em indústrias, trabalha no controle de qualidade e de estoques de produtos acabados. Ele pode, ainda, definir as políticas corporativas, preocupando-se, por exemplo, com ações de sustentabilidade e responsabilidade social.

Seja qual for a área de atuação, este bacharel precisa manter-se atualizado com a economia mundial e nacional, as tendências de consumo e a legislação da área de atuação da empresa. Cursos de especialização, como MBAs, são essenciais para crescer na carreira, além de que você pode ingressar no mercado como tecnólogo.

O que você pode fazer

Administrador: qual a formação, salário e o mercado de trabalho

  • Administração de empresas: cuidar de todas as operações de uma empresa, pública ou privada, desde a organização de seus recursos humanos, materiais e financeiros, até o desenvolvimento de estratégias de venda e marketing;
  • Administração esportiva: gerenciar equipes, promover competições e cuidar do marketing esportivo de associação, clube ou equipe esportiva. Definir e gerir políticas esportivas para prefeituras, governos estaduais e órgãos federais;
  • Administração financeira: organizar e coordenar as atividades financeiras de uma empresa ou instituição, lidando com patrimônio, capital de giro, análise de orçamentos e fluxo de caixa;
  • Administração hoteleira: gerenciar hotéis, pousadas, resorts, spas e parques temáticos. Supervisionar o funcionamento do estabelecimento, a área financeira, seus serviços, sua manutenção, as reservas e a limpeza;
  • Administração hospitalar: gerenciar hospitais, prontos-socorros e empresas de convênio médico ou seguro-saúde;
  • Administração de produção: coordenar o processo produtivo em indústrias, da análise, aquisição e estocagem da matéria-prima, à qualidade e distribuição do produto final;
  • Administração pública: planejar, promover e gerenciar instituições públicas;
  • Administração de recursos humanos: cuidar das relações entre funcionários e empresa, coordenando a seleção e a admissão, os planos de carreira e de salários, os programas de incentivo, de treinamento e de capacitação da mão de obra;
  • Administração rural: dirigir empresas rurais e agroindustriais, controlando as finanças, o processo de produção, a distribuição e a comercialização de produtos;
  • Administração do terceiro setor: planejar e coordenar as operações de ONGs, gerindo a captação de recursos e sua aplicação em projetos ambientais, educacionais, profissionalizantes ou comunitários;
  • Comércio exterior: administrar negociações de compra e venda com companhias do exterior e auxiliar a empresa a expandir-se fora do país;
  • Controladoria: planejar e gerenciar o orçamento de uma empresa, fazendo o controle dos custos e a auditoria interna;
  • Empreendedorismo: definir as estratégias de criação e direção de um negócio, avaliando as oportunidades, a concorrência e a gestão de recursos humanos;
  • Gestão ambiental: planejar, criar e executar projetos para a preservação do meio ambiente;
  • Gestão de qualidade: gerenciar e supervisionar os processos industriais e de venda ou compra de serviços ou mercadorias, a fim de garantir um padrão de qualidade;
  • Logística: implantar e administrar o fluxo produtivo de uma empresa, da compra e estocagem da matéria-prima, à distribuição da mercadoria nos pontos de venda;
  • Marketing: definir as estratégias de atuação de uma empresa, estudar as necessidades dos clientes, desenvolver produtos e serviços, para atendê-los, e planejar as vendas;
  • Peritagem: elaborar exames periciais em assuntos relacionados ao dia a dia de uma empresa, como na administração financeira ou de recursos humanos;
  • Sistemas de informação: gerenciar os sistemas de tecnologia de informação em uma empresa, atualizando seus equipamentos e programas necessários ao negócio. Garantir o fluxo correto de informação;
  • Vendas: planejar e otimizar as vendas de uma empresa, negociando preços, condições de pagamento e prazos de entrega. Abrir novos mercados para ampliar a clientela.

Sobre o curso de administração

O curso de Administração de Empresas tem como principal objetivo formar profissionais que possuam uma ampla visão organizacional, com responsabilidade social e espírito empreendedor.

A graduação em Administração é um curso da área de Ciências Humanas e possui uma formação multidisciplinar, com ênfase nas áreas de:

  • Teoria Organizacional;
  • Marketing;
  • Finanças;
  • Recursos Humanos;
  • Produção.

Esta graduação possui a habilitação em bacharelado, durando, em média, quatro anos e sendo possível cursá-la nas modalidades presencial e à distância.

Nos anos iniciais, o curso apresenta disciplinas básicas, como Matemática, Direito, Contabilidade e Sociologia. Nos anos seguintes, são ministradas disciplinas mais específicas, como Finanças, Marketing e Logística.

Mercado de trabalho

Administrador: qual a formação, salário e o mercado de trabalho

O mercado de trabalho para profissionais da área de Administração é bastante amplo. Isto deve-se ao fato de um administrador poder trabalhar em empresas de diversos portes e em diferentes setores da economia, seja empresa privada, órgãos públicos ou terceiro setor. Também, pode atuar como autônomo (prestando consultorias) e até abrir o seu próprio negócio.

Polos industriais e grandes centros urbanos concentram as melhores oportunidades de emprego para administradores.

Não existe um piso salarial mínimo único para profissionais da administração, no Brasil. O Conselho Federal de Administração (CFA) sugere o salário de R$2.458, para quem inicia na carreira, e, pelo menos, R$5.977, para profissionais com mais de dois anos de experiência.

A Federação Nacional dos Administradores (FENAD) possui uma “Tabela Orientativa para a Cobrança de Honorários sobre Serviços Técnicos Prestados por Administrador”, que define a unidade de trabalho como Hora Técnica (HT) de sessenta minutos à disposição do cliente, sendo que os valores variam, de acordo com o porte da empresa que contrata o serviço.

Segundo a tabela de honorários da FENAD, a hora técnica de administração financeira pode custar entre R$90 e R$312. Trabalhos de pesquisa, estudos, planejamento, seleção de pessoal, organização e administração de produção, entre outros, têm hora técnica entre R$224 e R$312.

Existe um projeto de lei em tramitação no Senado brasileiro (PL 6954/2010), para fixar o piso nacional de salários do administrador em R$4.500 (exceto para microempresas e empresas de pequeno porte).