Cálculo Seguro Desemprego – Veja aqui

Ao ser demitido, todos os trabalhadores que tenham a carteira assinada e estejam dentro das novas normas do seguro desemprego, tem direito a esse benefício.

Esse valor é um auxílio do Ministério do Trabalho para quando o indivíduo é mandado embora sem justa causa, durante esse período de transição ele ficará amparado por esse valor por um determinado tempo proporcional a cada caso.

Para realizar esse cálculo, leia abaixo as especificações.

Como calcular o Seguro Desemprego

Veja a abaixo para entender mais sobre as parcelas do seguro desemprego:

Se o indivíduo comprovar que tem vínculo com a empresa de no mínimo 6 meses com o máximo de 11, durante os 3 anos ou 36 meses, o direito é de até 3 parcelas.

Caso o trabalhador comprove que tenha vínculo de no mínimo 12 meses e no máximo 23 meses, ele tem o direito até 4 parcelas.

Se o vínculo comprovado for de minimamente 24 meses durante os últimos 36 meses, o direito é de até 5 parcelas.

calculo-seguro-desemprego

Para realizar o cálculo correto do valor a ser recebido, é preciso seguir as seguintes instruções:

É preciso fazer a média dos 3 últimos salários recebidos, por exemplo:

  • Janeiro: R$ 850
  • Fevereiro: R$ 800
  • Março: R$ 870

A média dessa soma fica R$ 840, caso ainda tenha dúvidas, some seus 3 últimos valores de salário recebido, pegue o total e divida por 3, essa será a média.

É preciso multiplicar esse valor médio de acordo com os valores do seguro desemprego, como segue abaixo:

  • Salário médio de até R$ 1222,77, multiplica-se por 0,8 (80%)
  • Salário média acima de R$ 1222,77 até R$ 2038,15, multiplica-se por 0,5 (50%) e é somado o valor de R$ 978,22.
  • Salário médio acima de R$ 2038,15, o valor da parcela será de R$ 1385,91, não ocorrendo variações.

Durante quanto tempo recebo o Seguro?

Esse benefício do governo é temporário, sendo apenas um auxílio para ser usado quando o indivíduo estiver no período de procura e adaptação a um novo emprego, o desempregado pode receber de 3 até 5 parcelas mensais.

Se caso consiga um emprego durante o recebimento do seguro, o benefício é descontinuado.

Na primeira solicitação, são 4 parcelas caso o trabalhador comprove o vínculo com a empresa de no mínimo 12 meses e no máximo 23 meses durante o período de referência.

Sendo 5 parcelas caso seja comprovado vínculo de no mínimo 24 meses ou mais.

Já na segunda solicitação, são 3 parcelas para quando o trabalhador comprovar o vínculo de no mínimo 9 meses e de no máximo 11 meses.

E 4 parcelas para quando for comprovado o vínculo de 12 até 23 meses do indivíduo com a empresa.

calculo-seguro-desemprego-1

Em casos em que o vínculo seja de no mínimo 24 meses, o direito é de até 5 parcelas do benefício.

E por fim, na terceira solicitação são 3 parcelas caso o vínculo comprovado seja de no mínimo 6 meses e até 11 meses.

Para vínculos de 12 até 23 meses o benefício se estende no máximo em 4 parcelas.

São 5 parcelas para os casos em que o vínculo é de 24 ou mais meses do empregado com a empresa.

Lembrando que o prazo para requerer o seguro desemprego varia de 90 dias até 120 dias, dependendo do caso em que você se encaixa:

Trabalhadores formais tem do 7º até o 120º dia após a data de demissão para dar entrada ao requerimento referente ao benefício.

No caso da Bolsa Qualificação o prazo é durante a suspensão do contrato de trabalho.

Empregado Doméstico tem o prazo do 7º ao 90º dia para dar a entrada, contando com a data da dispensa.

Pescadores artesanais durante o defeso até 120 dias do início da proibição.

Trabalhadores resgatados tem até 90 dias, contando com a data do resgate.

Onde Solicitar

É possível dar entrada no Seguro desemprego por esse link: http://saaweb.mte.gov.br/inter/saa/pages/agendamento/main.seam

É preciso selecionar o estado correspondente, o município e colocar no Tipo de Atendimento “Entrado no Seguro Desemprego”. Responda o código de segurança corretamente e clique para prosseguir, é preciso tentar em vários momentos do dia, pois pode não haver vagas naquele momento.

Pode ser solicitado também nas Superintendências Regionais do Trabalho e Emprego, no Sistema Nacional de Emprego, nas entidades sindicais cadastradas no Ministério do Trabalho e nas Agências da Caixa Econômica Federal credenciadas.

Caso ainda tenha dúvidas sobre o cálculo do benefício ou sobre o seguro desemprego, entre no site da Caixa conforme link indicado no final e tenha mais informações: http://www.caixa.gov.br/beneficios-trabalhador/seguro-desemprego/Paginas/default.aspx