Educação Física: Formação, Salário e Mercado de Trabalho

O profissional de educação física é o responsável por promover a saúde corporal. Por meio de práticas de atividades físicas e alongamentos, ele promove a consciência corporal e o bem-estar das pessoas.

Na sociedade atual, este profissional está cada vez mais requisitado, já que as pessoas passaram a dar mais importância à saúde e aparência física. Por esse motivo, o educador físico vem ganhando mais espaço no mercado de trabalho. Além das habituais academias de ginásticas e escolas, até mesmo as empresas passaram a contratar esse profissional para elaborar atividades de relaxamento no ambiente de trabalho.

O profissional dessa área deve ter um perfil sociável e possuir boas habilidades de comunicação, para dar a orientação correta da forma como o exercício deve ser realizado, além de ter que desenvolver a paciência e o respeito aos limites e às diferenças de cada um de seus alunos.

Formação

Educação Física: Formação, Salário e Mercado de Trabalho

O curso de graduação em Educação Física pode ser encontrado nas modalidades licenciatura, em que é possível a atuação em instituições de ensino fundamental e médio, e bacharelado. O tempo de duração do curso é de, em média, 4 anos.

A formação do profissional de Educação Física engloba disciplinas ligadas aos esportes e ao funcionamento do corpo humano, além de práticas ligadas à psicologia e aos primeiros socorros. Alguns exemplos de matérias mais encontradas nas grades curriculares são: Anatomia, Biologia, Fisiologia, História do esporte, Práticas esportivas, Primeiros socorros, Nutrição, Prevenção de lesões, Desenvolvimento motor, Atletismo e outras.

Ao final do curso, é necessário a realização de estágio obrigatório, sendo o de licenciatura realizado em escolas de educação básica, além de ser preciso elaborar um trabalho de conclusão de curso, conhecido como TCC.

Para que o profissional esteja apto a executar a profissão, é preciso que tenha concluído a formação superior em instituição reconhecida pela MEC, bem como adquirido o registro no Conselho Regional de Educação Física (CREF).

Salário

As possibilidades de atuação do profissional de educação física são inúmeras. Por esse motivo, existem enormes variações de salário. Em média, o profissional ganha o salário de R$2 mil, podendo chegar a R$5 mil.

Estima-se que o educador físico alcance seu ápice profissional após 6 anos da formação, sendo que, nessa fase, seu salário pode chegar ao patamar de R$5mil a R$8 mil mensais. Mas, deve ser ressaltado que se tratam apenas de estimativas salariais.

Além disso, é preciso lembrar que este profissional tem grandes chances de atuar como um trabalhador autônomo, assim pode exercer atividade como personal trainer ou abrindo o seu próprio empreendimento. Ou seja, as possibilidades de ganhos podem ser aumentadas, tudo dependendo da qualidade do profissional e de sua qualificação técnica.

 Mercado de Trabalho

O mercado de trabalho do profissional em Educação Física é amplo. As mais conhecidas são as escolas e as academias de ginástica. As instituições de ensino fundamental e médio possuem como disciplina obrigatória a Educação Física. Para tanto, são obrigadas a manterem em seu quadro de docentes profissionais de Educação Física, capazes de ministrar essa disciplina.

Além desse campo de atuação, mas conhecido e comum, o profissional vem tornando-se popular em empresas que desejam fornecer aos seus funcionários uma melhor qualidade de vida e evitar acidentes e doenças ocupacionais. Nesse campo de atuação, o profissional ficará responsável por elaborar e executar programas de ginástica laboral.

Outro ramo em que é possível a atuação são os centros de treinamentos esportivos, sendo responsável pelo desenvolvimento de rotinas de treinamento e preparo físico de atletas. Ainda tem a possibilidade de atuação como autônomo, desenvolvendo o trabalho de personal trainer de pessoas que queiram manter a saúde corporal em dia com maior exclusividade.

Enquanto a atuação em academias de ginástica o ramo é maior na região sudeste, sendo que a nordeste descarta-se por empregar estes profissionais no ramo hoteleiro. Eles atuam na elaboração de atividades recreativas para hóspedes e turistas, além de dar orientação em academias localizadas dentro de hotéis, resorts e navios, bem como o desenvolvimento de atividades ligadas aos setores de turismo, como atividades de caminhada e montanhismo.

Para aqueles que desejam seguir outra área de atuação, há a possibilidade de tornarem-se professores universitários. Para tanto, é necessário dar continuidade aos estudos, concluindo os cursos de mestrado e doutorado.