Quais são os partidos de direita no Brasil? O que eles defendem?

Direita é uma palavra usada para representar um posicionamento político, partidário e ideológico. De acordo com o conceito das Ciências Políticas, o posicionamento político de direita é marcado por características mais conservadoras em relação a aspectos sociais e de governo.

Quando uma pessoa identifica-se com a ideologia política de direita, ela costuma dar prioridade aos direitos individuais em relação aos direitos coletivos. Também, é comum que considere valores religiosos e tradicionais como fundamentais para a sociedade.

O que a direita defende?

Quais são os partidos de direita no Brasil? O que eles defendem?

A ideologia política de direita entende que a sociedade será melhor organizada se os direitos individuais tiverem prioridade sobre os direitos de todos, ou seja, da coletividade. É um posicionamento considerado mais conservador.

A direita também defende que o poder do Estado seja limitado, que os governos não tenham tanto poder sobre o funcionamento e a regulamentação dos setores da sociedade e das empresas. Isso significa que parte da responsabilidade deve ser dos cidadãos e não do Estado.

A direita também acredita no conceito de livre mercado, em que as empresas tenham liberdade para agir e se regulamentar por conta própria, sem sofrer intervenção por parte do Estado.

Principais bandeiras da Direita

  • Liberalização e privatização da economia: a economia deve ser livremente determinada pelas forças de mercado, com a mínima intervenção possível do Estado, visto na maior parte das vezes como danoso. Assim, uma bandeira comum da direita é a redução ou simplificação de impostos, ou maior transparência sobre a cobrança de impostos;
  • Defesa do mérito: cada cidadão deve ser recompensado pela sua contribuição pessoal ao bem estar da sociedade. É por isso que existem patrimônios e remunerações desiguais, em que cada um tem méritos diferentes perante a sociedade. Por isso, é necessário que os salários sejam determinados com liberdade (no máximo, sendo aceito o salário mínimo);
  • Manutenção de valores tradicionais ou conservadores: o casamento é entendido como uma união heterossexual e a família como uma unidade social composta por homem, mulher e seus descendentes; oposição à prática do aborto, com poucas exceções; oposição à legalização de drogas, como maconha, cocaína, etc.;
  • Limitação das atividade do Estado, apenas nas áreas em que sua presença é considerada necessária: segurança, saúde, educação e assistência social;
  • Liberdade individual como regra: medidas que limitam a capacidade de escolha dos indivíduos devem ser a exceção.

Direita no Brasil

Atualmente, os partidos do Brasil que são considerados de direita têm características de grupos conservadores, que apoiam ideais típicos de partidos de direita, como a não intervenção do Estado e a liberdade econômica.

Mas, muitos cientistas políticos acreditam que os conceitos de direita e esquerda já não são mais cabíveis, em razão de existirem as variações entre os posicionamentos políticos atuais, que misturam ideologias tipicamente de esquerda com atitudes e interesses de direita.

No Brasil, existem poucos partidos que se identificam com a direita. Segundo o analista político João Mellão Neto, no momento, o país não possui em atividade nenhum partido político verdadeiramente de direita, existindo, porém, políticos que se afirmam pertencentes à direita, como Jair Bolsonaro e seus filhos, Eduardo Bolsonaro e Flávio Bolsonaro – ambos do PSL; Onyx Lorenzoni e Abelardo Lupion do DEM; Denise Abreu do PEN; e Demóstenes Torres (sem partido).

Em 2016, os dois únicos partidos que se declararam abertamente de direita no Brasil foram o PRTB [91] e o PSC. O Partido Novo, homologado em 2015, também é frequentemente identificado com a direita, dada a ideologia economicamente liberal e sua defesa de intervenção mínima do Estado na sociedade, apesar de não se declarar como direitista.

Também, há a volta de movimentos conservadores, como a Frente Integralista Brasileira (FIB), que reivindica a herança da extinta Ação Integralista Brasileira, e partidos em processo de filiação, como o Partido Conservador (PACO), o movimento de recriação da Aliança Renovadora Nacional (NOVA ARENA), o Partido Republicano Cristão (PRC), o Partido Cristão (PC), o Partido da Construção Imperial (PCI), dentre alguns outros, além daqueles que podem ser classificados como centro-direita.

Partidos Extintos

  • União Democrática Nacional (UDN, pré ARENA);
  • Aliança Renovadora Nacional (ARENA);
  • Partido Democrático Social (PDS);
  • Partido da Frente Liberal (PFL);
  • Ação Integralista Brasileira (AIB), de extrema-direita;
  • Partido de Representação Popular (PRP, sucessor da AIB);
  • Partido Conservador (período imperial);
  • Partido de Reedificação da Ordem Nacional (PRONA), de tendência conservadora e nacionalista.

Associações e Institutos de Direita no Brasil

  • Movimento Cruzada;
  • Movimento Endireita Brasil;
  • Instituto de Estudos Empresariais, organizador do Fórum da Liberdade;
  • Instituto Millenium;
  • Instituto Liberal;
  • Ordem Livre;
  • Instituto Olavo de Carvalho;
  • Ternuma;
  • Grupo Inconfidência;
  • Movimento Brasil Livre;
  • Movimento Vem Pra Rua;
  • Movimento Viva Brasil;
  • Brasil Paralelo;
  • Instituto Ludwig von Mises Brasil;
  • Mídia sem Máscara;
  • Instituto Brasileiro de Humanidades;
  • Instituto de Artes Liberais.