Xenofobia: o que é, quando acontece e muito mais.

A xenofobia é um tipo de preconceito, caracterizado pela aversão, hostilidade, repúdio ou ódio aos estrangeiros, que pode estar fundamentado em fatores históricos, culturais, religiosos, dentre outros. Quando é falado na mídia, faz referência a casos “extremos” de grupos mais ou menos organizados, que cometeram um crime contra uma pessoa de outro grupo étnico ou país. Mas, o racismo não é apenas isso. Também se caracteriza xenofobia aquelas pequenas frases ou ideias que estão na cabeça de algumas pessoas. Por exemplo, é considerado xenófobo ou não rotular uma pessoa como preguiçosa com base apenas no seu local de origem.

Como dissemos anteriormente, xenofobia não é apenas uma agressão contra uma pessoa por sua nacionalidade. É claro que este comportamento causa um grande sofrimento para aqueles que são vítimas desse tipo de preconceito e para a sociedade em geral, mas a realidade é que a xenofobia implica muito mais.

A ideia central é a exclusão social de outra pessoa por sua origem, normalmente diferente daquele que executa os atos de xenofobia. Essa exclusão pode ser realizada por comportamentos diretos, como não alugar uma casa ou apartamento para uma pessoa por causa da sua nacionalidade ou cor da pele.

Também inclui atitudes e crenças sobre essas pessoas, como considerá-las mesquinhas ou “intrigantes”: é aqui que os estereótipos entram em jogo. A realidade é que, embora não realizemos comportamentos violentos, podemos estar sendo xenófobos por causa do que pensamos sobre eles, já que o termo também se refere a atitudes de medo e rejeição.

Histórico

Xenofobia: o que é, quando acontece e muito mais.

Inicialmente, o termo “xenofobia” foi incorporado aos estudos da psicologia, com o intuito de nomear um transtorno psiquiátrico de pessoas que sofrem com o medo excessivo aos estrangeiros.

É considerado um tipo de aversão irracional aos estrangeiros, o que gera demasiada angústia e ansiedade nos pacientes. Nesses casos, o tratamento é feito por meio de terapia comportamental.

Para o filósofo grego Sócrates (469 a.C-399 a.C.), o conceito de “estrangeiro” não existe, na medida em que analisamos sua célebre frase: “Não sou nem ateniense, nem grego, mas sim um cidadão do mundo”.

Sócrates define assim alguém que abdica de sua nacionalidade e pensa na humanidade como um todo, não se importando com cultura, religião, costume, tradição, raça, etc.

Do grego, o termo “xenofobia” é formado por dois termos: “xénos” (estrangeiro, estranho ou diferente) e “phóbos”, (medo), que corresponde, literalmente, a “medo do diferente”.

Etnocentrismo e Racismo

A xenofobia está relacionada com diversos tipos de conceitos que englobam a discriminação, formada pelo sentimento de superioridade entre os seres humanos. Dessa forma, o etnocentrismo e o racismo são dois conceitos associados a determinados tipos de discriminações.

O etnocentrismo está pautado no pensamento de superioridade de uma cultura sobre a outra (preconceito cultural). Já o racismo designa um tipo de preconceito associado as raças, etnias ou características físicas dos indivíduos (preconceito racial).

Xenofobia nos Estados Unidos

Na América, os Estados Unidos é considerado um dos países mais xenófobos, de forma que dificulta a entrada de imigrantes no país, sobretudo, de mexicanos e dos latinos em geral.

Importante salientar que as migrações do século XXI, diferentemente do século anterior, estão pautadas na busca por novas oportunidades em que o estrangeiro fixa-se no país de destino.

Isso ocorre em maior parte nos países do hemisfério norte, que recebem imigrantes vindos do hemisfério sul em busca de trabalho e melhores condições de vida. O imigrante pode ser coagido por diferentes atitudes hostis dos discriminadores, desde desrespeito a crenças, hábitos, sotaques, aparência física, condições socioeconômicas, etc.

Xenofobia na Europa

Xenofobia: o que é, quando acontece e muito mais.

Estudos informam que os casos de Xenofobia na Europa têm aumentado consideravelmente nos últimos anos. Muitos pesquisadores acreditam que a crise econômica, pela qual muitos países europeus estão passando, reflete diretamente no sentimento de rejeição e aversão ao estrangeiro.

Vale lembrar que a xenofobia é considerada crime e violação dos Direitos Humanos. Ocorrem ali muitos casos de discriminação, mesmo entre europeus, também sendo alvos os imigrantes asiáticos, africanos e latinos.

Ao pensar no lado do residente, fica claro que a maior preocupação está no nacionalismo. Alguns temem a perda de sua identidade nacional, como costumes e tradições.

Xenofobia no Brasil

O Brasil também não fica de fora quando o assunto é xenofobia, embora os brasileiros demostrem curiosidade àquilo considerado “diferente”, ou seja, o que vem de fora.

Entretanto, se pensarmos que o país possui dimensões continentais, o sentimento de superioridade ocorre entre as diversas regiões do país.

É possível, por exemplo, sulistas se considerarem superiores aos nordestinos, que apresentam maior população negra, condições mais precárias de vida e pouco acesso à saúde, cultura e educação.

Diante disso, podemos considerar o conceito de “bairrismo”, que vai de encontro com o de xenofobia, uma vez que representa o apego à sua cultura, discriminando, muitas vezes, as outras.